kardec - o educador

Loading...

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012




No momento... Uma reflexão faz bem.

Assim certo dia, ouvi de um homem hindu; que quando o coração fala pro coração, nada há mais pra se dizer.
Desde então, foi que pude compreender este  incompreendido  amor.
Vi também, que este dom supremo, só é compreendido pelo homem se quebrada todas as regras didática, extirpando-se a gramática e o tornando livre, independente das nossas vontades, todavia, vivente dentro de nós.

 Equivocam-se aqueles quais, pelas letras tentam o conjugar na qualidade transitiva do verbo; criando limites, o enquadrando, dando forma a este supremo dom.
O amor é o próprio Deus Verbo intransitivo, sem alvo nem direção, plus de compaixão que excede a todos os espaços e preenche todos os vazios.  

 É a essência da alma que nutre o espírito,  luz clara, que ilumina o caminho e nos ajuda a seguir.
O amor é balsâmico, nas aflições do esforço que  faz o espírito evoluir, e transcender até  Quando, porém vier o que é perfeito, então o que é parte será aniquilado. E a sim, fundidos neste amor sem fronteiras, seremos todos,  unidade de Deus.

FELIZ ANO NOVO!!

retirado - edson santos
rede amigo espirita



terça-feira, 18 de dezembro de 2012


                         Feliz Natal


                                       Mensagem de Natal 


Natal: sentimento que
enchendo o abismo do universo,
cabe com seu esplendor,

No olhar de uma criança,
no cálice de uma flor,

Esse Jesus imortal, único, bom e clemente,
de quem sou o mais humilde crente.
Mártir que fez com seu olhar sublime,
o luar do perdão para a noite do crime,
abriu com a luz da bem-aventurança,

Jesus… Deus menino homem que está,
Como um farol da glória,
No cume da montanha escavada da história,
contemplando o infinito, iluminando a terra.

Essa luz que a flor da alma humana encerra,
É de quem sofre, é de quem geme, é de quem chora,
É de todos que vão pela existência afora,
Tristes (santo, herói, escravo ou proscrito),
os pés calcando o lodo…
os olhos voltados para o infinito.

O Natal está nos olhos das crianças,
em suas mãozinhas delicadas,
que revelam sempre novas surpresas.

O Natal está em suas faces alegres e em tudo o que dizem.

“Senhor, que neste Natal, milhares e milhares de pessoas possam encontrar-se com Jesus, a razão do Natal, a vida verdadeira, assumindo com ele um compromisso de vida.

Que as festas e os presentes não nublem as mentes, mas que todos possam se deixar levar por essa “Canção de Amor”:

Jesus! “Porque o nosso Deus é misericordioso e bondoso.

Ele fará brilhar sobre nós a sua luz e do céu iluminará todos os que vivem na escuridão da sombra da morte, para guiar os nossos passos no caminho da paz”.

Desejo que você tenha um Natal cheio de luz e paz junto ao menino Jesus.

E um Ano Novo repleto de saúde e realizações.

Feliz Natal! Feliz Ano Novo!

sábado, 15 de dezembro de 2012


                              O MENINO DO NATAL


Ele foi aguardado pelo casal por mais de um ano. Considerados portadores de infertilidade, marido e mulher se inscreveram numa fila de adoção. Com seis dias de vida ele chegou.
 E porque fosse próximo ao Natal, logo foi chamado de Nosso menino do Natal.
Logo em seguida, o casal foi surpreendido com dois filhos biológicos.  O menino do Natal, contudo, era muito especial. Natal era mesmo com ele. 
Era ele que se esmerava na decoração da árvore de Natal, que elaborava a lista de presentes, não esquecendo ninguém. Era pura felicidade. Natal era família, era orar e entoar cânticos.
No seu 26º Natal, ele se foi, tão inesperadamente quanto chegou. Morreu num acidente de carro, logo depois de estar na casa dos pais e decorar a árvore de Natal.  
A esposa e a filhinha o aguardavam em casa. Ele nunca voltou.
Abalados pelo luto, os pais venderam a casa e se mudaram para outro Estado.  Dezessete anos depois, envelhecidos e aposentados, resolveram retornar à sua cidade de origem. Chegaram à cidade e olharam a montanha.
 Lá estava enterrado seu filho. Lugar que jamais conseguiram visitar. O filho do casal morava em outro Estado. 
A filha viajava, em função de sua carreira. Então, próximo do Natal, a campainha da porta soou. Era a neta. N
os olhos verdes e no sorriso, via-se o reflexo do menino do Natal, seu pai.  Atrás dela vinham a mãe, o padrasto, o meio-irmão de dez anos.  Vieram decorar a árvore de 
Natal e empilhar lindos embrulhos de presentes sob os galhos.
Os enfeites eram os mesmos que ele usava. A esposa os havia guardado, com carinho, para a sogra. Depois foi convite para ceia e para comparecerem à igreja. 
A neta iria cantar um solo.  A linda voz de soprano da neta elevou-se, fervorosa e verdadeira, cantando Noite Feliz. 
E o casal pensou como o pai dela gostaria de viver aquele momento.
A ceia, em seguida, foi cheia de alegria. Trinta e cinco pessoas. Muitas crianças pequenas, barulhentas.  
O casal nem sabia quem era filho de quem. Mas se deu conta de que uma família de verdade nem sempre é formada apelas pelo mesmo sangue e carne.  
O que importa é o que vem do coração. Se não fosse pelo filho adotado, eles não estariam rodeados por tantos estranhos, que se importavam com eles.
Mais tarde, a neta os convidou para irem com ela a um lugar onde costumava ir.  Foi em direção às montanhas, ao túmulo do seu pai. 
Ao lado da lápide, havia uma pedra em formato de coração, meio quebrada, pintada pela filha do casal.
Ela escrevera: Ao meu irmão, com amor.
Em cima do túmulo, uma guirlanda de Natal, enviada, como todos os anos, pelo outro filho. Então, em meio a um silêncio reconfortante, a jovem soltou a voz, bela como a de seu pai. Ali, nas montanhas, ela cantou Joy to the world. E o eco repetiu diversas vezes.
Quando a última nota se ouviu, o casal sentiu, pela primeira vez desde a morte do filho adotado, um sentimento de paz, de continuidade da vida.  Era a renovação da fé e da esperança. O real significado do Natal lhes havia sido devolvido.
Graças ao menino do Natal…
*   *   *
A verdadeira família é a que se alicerça em laços de afeto. Não importa se os filhos são gerados pelos pais ou se chegam por vias indiretas. O que verdadeiramente importa é o amor. Esse suplanta o tempo, a morte. Existe sempre. Este é o sentido do verdadeiro Natal: o amor de Deus para com os homens. O amor dos homens uns para com os outros, em nome do Divino Amor que se chama Jesus.


MOMENTO ESPIRITA

terça-feira, 11 de dezembro de 2012


                 PAPAI  NOEL E JESUS

Papai Noel X Jesus


Papai Noel mora no Polo Norte...
Jesus, em todo lugar...
...Papai Noel anda num trenó...
Jesus voa no vento e anda sobre as águas.

Papai Noel vem somente uma vez ao ano.
Jesus está sempre presente.

Papai Noel enche nossas meias com presentes...
Jesus supre todas as nossas necessidades.

Papai Noel desce pela chaminé sem ser convidado...
Jesus fica na nossa porta, bate e entra em nosso coração.

Nós temos que esperar numa fila para ver Papai Noel...
Jesus já está próximo quando se menciona Seu nome.

Papai Noel nos deixa sentar no seu colo...
Jesus nos deixa descansar em Seus braços.

Papai Noel não sabe nosso nome,
tudo o que ele pode dizer é:
"Olá garotinho ou garotinha, qual é o seu nome"?...
Jesus sabia nosso nome antes mesmo de nós o sabermos.
Ele sabe não só o nosso nome,
Ele conhece nossa história e futuro e ainda
Conhece nosso coração e
quantos fios de cabelo temos em nossa cabeça.

Papai Noel tem uma barriga que balança como gelatina...
Jesus tem um coração cheio de amor, graças,
misericórdia e perdão.

Tudo que Papai Noel pode oferecer é:"HO, HO, HO"...
Jesus diz: "Deixe que eu resolvo seus problemas".

Os ajudantes de Papai Noel fazem brinquedos...
Jesus faz vida nova, consola nosso coração aflito,
repara lares destruídos e constrói esperanças.

Papai Noel pode fazer-nos um agrado mas...
Jesus nos dá alegria com Sua força.

Enquanto Papai Noel coloca presentes sob nossa árvore...
Jesus tornou-se nosso presente e
morreu na cruz por todos nós.

É claro que não há comparações.
Nós devemos lembrar "Quem é" o Natal, na verdade.

Devemos recolocar Cristo no Natal,
Jesus ainda é a razão da comemoração.

Jesus é o melhor,
Ele é melhor até mesmo que Papai Noel.
  

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012


                PREPARAÇÃO PARA O NATAL


É notório, que o clima de natal já começa a tomar conta na vida das pessoas, começamos a presenciar atos de comemorações, festividades e principalmente assistimos o comércio abundante em torno da data em grande ebulição. Não sou muito adepto a trocas de  presentes e abraços somente nestas ocasiões, mas, não sou eu quem vai estragar a festa , pois ela existe e faz parte das nossas necessidades, até porque, há quem só lembre dos seus semelhantes somente nestas ocasiões.
  Para a maioria, natal é sinônimo de família, de união, de aproximação das pessoas, dando a idéia de que no final das contas tudo se realizou de forma perfeita durante o ano que está terminando. Todos se deixam contagiar pelo clima natalino, abraços, afagos, lágrimas e, é claro, os presentes, além da mesa farta.
 No entanto, infelizmente é bom lembrarmos que em relação à família, ainda existem dois conceitos: A minha família e a tua família, e que cada um se reúna, ou melhor, festeje e celebre o natal com a sua.
  Esquecemos, de fazer uma reflexão sobre os 365 dias passados, esquecemos que pode ter faltado abraços de solidariedade naqueles momentos de derrotas, de tristezas, de fracassos, de perdas, sim, porque também nestas ocasiões deveríamos agir como se fosse natal, também deveríamos  nos  abraçar  quando as dificuldades aparecessem.
  Mas, nos deixamos envolver pela correria, pela compra dos presentes, pelas festividades natalinas, pela agitação que anuncia mais um final de ano, como se isso resolvesse todos os nossos problemas, e que a partir de 01 de janeiro será vida nova. Esquecemos que essas festividades são apenas uma convenção humana, pois para o espírito isto não tem valor nenhum.
 Mas, voltemos ao natal. É preciso que tenhamos mais consciência, que não nos deixemos levar simplesmente como pedras que, no rio, são carregadas pela correnteza da água, como diz o ditado.
 É necessário programar nosso tempo, nossa vida, pensar bem no que precisa ser feito e na maneira de como fazer, para  quando chegar o natal, essa comemoração possa ser um pouco mais real e sincera. Devemos pensar no  significado que essa convenção representa e, o que representam aquelas pessoas que nos rodeiam durante a ceia, o que elas significam para nós, o que desejamos para elas.
  A sociedade impôs o hábito da troca de presentes nesta ocasião, como se isto fosse de fato resolver e apagar todas as diferenças existentes. Porque não transformar a noite de celebração do natal em algo mais do que uma mesa farta e uma simples troca de presentes, de gentilezas, as vezes falsas, em algo que realmente acrescente o verdadeiro espírito natalino.
  Não deixemos que o natal tenha apenas um significado meramente comercial e ilusório em relação à família, pensemos um pouco mais no personagem principal que representa esta data, aquele que deveria nortear nossos passos, para chegarmos na noite de natal carregados de sentimentos nobres e fraternos, com presentes, sim, mas principalmente com amor no coração para dar aqueles que formam nossa família. Isto, para ficar somente na família de sangue, pois ao contrário, seria divagar na utopia.


terça-feira, 4 de dezembro de 2012

 A ESTRELA VERDE

Era uma vez milhões e milhões de estrelas no céu. Havia  estrelas  de todas as cores: brancas, prateadas, vermelhas, azuis.
Um dia, elas procuraram o senhor Deus, Todo Poderoso, o Senhor Deus do Universo e disseram-lhe:
    Senhor Deus, gostaríamos de viver na Terra entre os homens.
    Assim será feito, respondeu Deus. Conservarei todas vocês pequeninas, como são vistas e podem descer até a /terra.
Conta-se  que naquela noite houve uma linda chuva de estrelas.
Algumas se aninhavam na torre das igrejas, outras foram brincar e correr vaga-lumes no campo.
Outras misturaram-se aos brinquedos das crianças e a
terrra ficou maravilhosamente iluminada.
Porém passado algum tempo, as estrelas resolveram abandonar os homens e voltar para o céu, deixando á medida que elas voltaram para o céu, deixando a Terra escura e triste.
Porque voltaram?  Perguntou Deus à medida que elas voltaram ao céu.
   Senhor, não nos foi possível permanecer na TERRA. Lá existe muita miséria, muita desgraça, muita fome, muita violência, muita guerra, muita maldade e muita doença.
E o /senhor lhes disse:
   Claro! O lugar real de vocês é aqui no céu. A Terra é o lugar transitório, daquilo que passa, do ruim, daquele que cai, daquele que erra, daquele que morre e onde perece.
Depois de chegarem todas as estrelas e conferirem seu número. Deus falou de novo:
 Mas esta faltando uma estrela! Perdeu-se pelo caminho?
Um anjo estava perto e retrucou.
    Não Senhor!   Uma estrela resolveu ficar entre os homens. Ela descobriu que o seu lugar é exatamente onde existe imperfeição, onde as coisas não vão bem.
   Mas que estrela é esta? Voltou Deus a perguntar
   Por coincidência Senhor, era a única estrela desta cor.
   Qual é a cor desta estrela? Insistiu Deus.
E o anjo disse:
  - A estrela é verde Senhor! A estrela verde do sentimento da esperança!
É quando então olharam para a Terra, a estrela já não estava mais só. /a terra estava novamente iluminada, porque havia uma estrela verde no coração de cada pessoa, porque o único sentimento que o homem tem que Deus não tem é esperança. Deus conhece o futuro e a esperança é própria da natureza humana. Própria daquela que cai, daquela que ainda não sabe como vai ser seu futuro.

QUE A ESTRELA VERDE BRILHE EM CADA CORAÇÃO